PROPAGANDA DE CIGARRO: DO GLAMOUR À PROIBIÇÃO



Tudo bem, a gente sabe que cigarro faz mal à saúde, que a nicotina é uma droga e vicia, mas não podemos evitar de sentir uma certa nostalgia em relação à propaganda antiga de cigarro, no momento em que a publicidade do fumo acaba de ser proibida no Brasil.

Quem não se lembra de Marlene Dietrich, Lauren Bacall e Marilyn Monroe soltando baforadas no rosto dos galãs, tipo Humphrey Bogart, Clark Gable e Gary Grant, que respondiam também com baforadas de fumaça branca, num esfumaçante diálogo que revelava sensualidade e amor?
Pois é, Hollywood popularizou tanto o fumo, que virou marca de cigarro. Na década de 20, uma época que marcou o início do processo de emancipação feminina, surgiram os cigarros com nome de mulher, Yolanda e Dalila. Na década de 50, os primeiros telejornais foram patrocinados pelos cigarros da marca "Camel". O incrível era que, antes de cada bloco de notícias, a TV mostrava o apresentador com um cigarro queimando sobre um cinzeiro, e ao fundo, garotas-modelos usando saias curtas (até onde a época permitia) e camisetas com o símbolo da Camel - um camelo - fumando sem parar, uma nuvem de fumaça branca sobre o estúdio. Naquela época, a ciência médica não sabia que fumar causava câncer e outros males.

A propaganda de cigarro sempre foi criativa e de muita beleza. Depois do cinema, as agências de publicidade associaram o cigarro a diversas modalidades esportivas, entre elas o alpinismo, o esqui, pára-quedismo, hipismo, surfe - paradoxalmente - todos eles esportes que não são recomendados para fumantes. Mas o esporte que mais afinidade teve com o cigarro, foi o automobilismo, ao ponto em que sua principal modalidade, a Fórmula 1, mais parecia uma "Fórmula F" (de Fumo). As restrições ao fumo e à propaganda de cigarro foram aumentando gradativamente, até que o governo proibiu a sua associação com diversos esportes e eventos, e obrigou as indústrias a colocarem um aviso sobre os males do fumo em toda propaganda de cigarro. No início deste ano a propaganda de cigarro foi definitivamente proibida no Brasil. Mas os velhos "reclames", a propaganda antiga de cigarro, deixou sua marca no tempo e virou um importante item de colecionismo que provoca saudades de uma época boa.
Em tempo: não somos a favor do fumo, o artigo apenas destaca a criatividade desse tipo de propaganda.


Marilyn Monroe




Volta para o início
Voltar à Página Principal